O cuidado com as pessoas já deveria ser prioridade há muito tempo. E disso não temos dúvidas. Mas quando o assunto é comunicação e marketing, pensar em como a sua marca pode se tornar mais humana ainda parece muito desafiador pra muitas empresas. E para ajudar a guiar os primeiros passos da sua human brand, preparamos um material completo explicando o conceito e como aplicar. Bora?

O que é marca?

Essa parece fácil de responder. Mas a verdade é que muitas pessoas ainda resumem as marcas a uma identidade visual robusta e um slogan bonito, quando elas são muito mais que isso.

Ao procurarmos o conceito de marca internet à fora, as primeiras definições que aparecem se relacionam a essa representação figurada de produtos e serviços. Ou seja, tudo aquilo que você vê e identifica como pertencendo a determinada empresa. Porém, se nos aprofundarmos um pouco mais, entendemos que marca também fala sobre relações, posicionamentos, valores e dinâmicas relacionadas a como sua empresa é vista pelo público.

Aí é que entram as Human Brands

O conceito de Human Brand se relaciona muito com o avanço do Marketing 4.0, onde os desejos e necessidades dos consumidores falam mais alto nas decisões estratégicas das marcas. Mas também é mais que isso. Uma Human Brand tem como objetivo principal oferecer produtos e serviços com real valor aos consumidores e com intenso cuidado em todo o ecossistema que representa essa empresa.

Ou seja, precisam ser construídos alguns pilares até tornar a sua marca humana. Como uma reavaliação das políticas internas envolvendo os colaboradores, sempre buscando a forma mais justa e humana de trabalho. Uma atenção especial aos valores da marca, sempre em comunhão com as pessoas e o meio ambiente, trazendo benefícios à sociedade como um todo. E é claro, na comunicação, atuando como uma marca realmente humana: que brinca, mas também fala sério; que acerta, mas também tem seus erros; que é feita de pessoas e para pessoas.

Mas e como isso acontece.

Melhor que explicar, vamos mostrar com exemplos de quem faz na prática isso acontecer. E o primeiro deles é um de nossos queridinhos: a Sallve. A empresa de cosméticos brasileira nasceu com o propósito de ser muito mais que marca. E sim um lugar. Aquele lugar onde todo mundo se sente à vontade pra aprender, tirar dúvidas, trocar informações e se conhecer cada vez melhor. E é por isso que a Sallve é tão especial: porque ela ouve a real necessidade do seu público e desenvolve produtos seguros, com preços justos e fórmulas incríveis. Pra todo mundo se sentir bem e em casa. 

Outra marca human que mora no nosso coração é a Dobra. Com o propósito de deixar o mundo mais aberto, irreverente e do bem através de produtos irado, a empresa cuida pra que todas as pontas sejam bem cuidadas e tratadas. Desde a produção do material, até o cliente e a forma como tudo é descartado (ou transformado). Com uma política de igualdade, por  lá, todo mundo recebe o mesmo salário – não importa o cargo. Além disso, o molde das carteiras são abertos pra quem quiser experimentar. E -n-a-d-a- vira lixo, tudo viram coisas úteis pra você usar (até mesmo as embalagens). 

E porque essas pequenas escolhas fazem tanta diferença?

Simples! Pois geram identificação e transmitem o cuidado e a preocupação das marcas com o mundo e todo mundo que mora nele: nós. E pra te ajudar a dar o primeiro passo na transformação da sua human brand, preparamos uma checklist basicona. Confere aí!

1. ANALISE SEUS PROCESSOS

O primeiro passo é olhar pra dentro do seu negócio e analisar como ele pode ter processos mais humanos, com produções justas e cuidado com o todo

2. ESTEJA NO DIA A DIA

Não apenas seus produtos e serviços precisam ser úteis no dia a dia do seu consumidor, como também a sua comunicação precisa conversar com a rotina desse público. Tudo isso, deixando clara a sua importância.

3. SEJA VULNERÁVEL

Ser humano é ser imperfeito. E isso não quer dizer que você precise mostrar todos os seus defeitos ou escancarar todos eles. Mas aceitar que essa vulnerabilidade faz parte, lidando com ela de forma natural com a sua empresa e com seu público e buscando sempre melhorar.

4. OUÇA PESSOAS REAIS

Estar atento às pessoas e o que elas têm a dizer é parte essencial do processo. Ouça pessoas reais. Converse com elas. Entenda o que elas realmente precisam antes de criar e vender qualquer coisa. Seja parte da solução. 

5. SEJA INCLUSIVA

Tanto em quem faz parte da sua equipe, quanto pra quem você comunica. Seu público é humano. Tem diversos corpos, diversas realidades, diversos desejos e necessidades. Incluir cada uma delas, de acordo com o propósito do seu negócio, faz toda a diferença.

E ai, pronto pra começar? Se quiser acompanhar mais conteúdo como esse, é só seguir a gente no Instagram e LinkedIn, ou ficar de olho no blog .