Data driven marketing para quem tem pressa

Sem mais delongas: aqui na Iris sempre adiantamos que o futuro é inteiramente data driven. E em meio a um acúmulo ainda maior de marcas e produtos, é crucial que você aprenda a transformar dados em informação. E essa é a moral do data driven marketing.

O que é: é uma estratégia na qual todos os seus movimentos, seja relacionamento ou tomada de decisão, são baseados na obtenção e análise de dados. 

O que eu preciso pesquisar no Google antes de começar? Big Data, Customer Data Platform e Customer Relationship Management.

  • Big Data – é o termo utilizado para se referir a enorme quantidade de dados que precisam ser processados e armazenados. (É bem mais complexo que isso? SIM. Mas deixamos para falar disso num futuro “Big Data para quem tem pressa”)
  • Customer Data Platform – é um software que centraliza e fornece controle sobre as informações dos seus clientes. Ou seja, é através de um CDP que você consegue reunir dados e tirar proveito deles.
  • Customer Relationship Management – é um processo que consiste em gerenciar e analisar as interações do seu cliente com a sua empresa. Atualmente isso evoluiu para softwares que te ajudam a aumentar suas vendas, se relacionar e analisar seus clientes.

Ok, temos uma definição e uma base de conceitos. Mas agora vem a pergunta de um milhão de dólares: como começar? 

Passo 1: Onde vivem os dados?

Para facilitar, você precisa entender que basicamente existem três tipos de dados: 1st Party Data, 2st Party Data e 3st Party Data. Mas, inicialmente, sua empresa vai focar neste:

1st Party Data: são todos aqueles dados oriundos da relação entre empresa e seu cliente. Exemplo: sessões acessadas no e-commerce, reclamações no SAC, compras realizadas e por aí vai.

Agora se lembre de todos seus canais de contato com o cliente (site, blog, redes sociais, aplicativos, plataformas de atendimento) e comece a enxergar quais serão seus 1st Party Data que você pode começar a captar.

Passo 2: Captar e Centralizar

A captação na maioria das vezes acontece pelas plataformas analytics de cada canal. Como os dados do seu blog que estarão no Google Analytics ou os de redes socais no Facebook Analytics, por exemplo. 

Esses canais apresentam uma centralização e oportunidade para analisar estes dados? Sim. Porém o ideal é centralizar os dados de todos os canais, enxergá-los separados dá muito mais trabalho.

E por isso que você deve pesquisar sobre CDP e CRM, pois são plataformas que nem estas que auxiliam a sua empresa a reunir todos seus dados e ainda utilizá-los para a tomada de decisão!

Passo 3: Parece que temos um Sherlock Holmes aqui

Sempre leia os dados de seus consumidores com essas três perguntas na mente: Onde aconteceu? Como aconteceu? Por quê? 

Não basta apenas ter todos os dados na sua frente se você não os transforma em informação. Por isso que é importante começar a tirar conclusões desse processo.

Passo 4: Hora da ação

Essas conclusões vão virar planos de ação para a sua empresa. Nesta etapa é importante pensar nas ferramentas que você vai utilizar para transformar essas informações em ideias!

As plataformas de CDP e CRM comumente apresentam ferramentas de push notifications, e-mail marketing, sms, postagens nas redes sociais e outras formas de engajar seu público. Utilize suas artimanhas de Sherlock Holmes para fazer as perguntas certas e escolher o momento e a forma certa para concluir seus planos.

Mas será que preciso realmente repensar minhas estratégias com dados?

5 motivos simples para você começar a pensar agora no data driven marketing para sua empresa:

  • Segmentação: você não vai mais se apegar a segmentações básicas para suas campanhas. Quantos mais informações dos seus clientes, maior são as possibilidades segmentação.
  • Personalização: todo cliente quer um relacionamento único, certo? Essas segmentações vão te permitir criar estratégias de relacionamento muito mais assertivas. E o melhor: você vai saber o momento certo que deve conversar com esse pessoal.
  • Experiência do cliente: alias, saber o momento certo é o começo para criar uma experiência ainda maior para seus consumidores. Dados do seu site, app, sac, pagamentos, engajamento. Tudo vai ajudar a contribuir com a jornada dele.
  • Teste A/B: sem burocracias para testes. Dados em tempo real e de fácil acesso vão melhorar em muito os testes no seu negócio. A Netflix é mestre nisso, sabia que a empresa testa em tempo real umas três versões diferentes do seu menu?
  • – suposição e + afirmação: chega de achismo. Um raciocínio baseado em dados vira afirmação. Sua tomada de decisão vai ser ainda mais rápida.

Não te convenci ainda? Então fique com dois cases bem legais de marcas que se basearam no data-driven marketing para crescer:

Agora falaremos rapidamente de futuro: para onde o data-driven vai ir?

O futuro pertence às empresas que realmente conhecem seus clientes. Por isso a Iris desenvolveu o CRM Data Driven, uma evolução de tudo isso que falamos hoje.

Centralização de dados, segmentação, automação e relacionamento. Tudo que uma empresa precisa para se tornar oficialmente uma empresa preparada para o futuro. 

Bora conversar? Podemos te contar melhor essa história \o

somosiris.com

Abraços,